• Entrevista,  História

    A arte ao alcance de um clique

    Inovador projeto de extensão da UFSC torna acessíveis, em duas plataformas digitais, exposições do mundo inteiro Por Mauro César Silveira Nem tudo tem sido angústia, sofrimento e dor. Os momentos mais duros do confinamento também produziram preciosidades. Uma delas nasceu junto com a disciplina História da Arte no Brasil e na América Latina, concebida pela professora Daniela Queiroz Campos, do Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ao pesquisar materiais didáticos para animar as aulas virtuais, ela concebeu a ideia  que culminaria, em maio deste ano, no projeto de extensão A IMAGEM no(s) Tempo(s), vinculado à Secretaria de Cultura e Arte  (SeCArte), órgão da instituição onde trabalha. A…

  • Entrevista,  História

    Um legado da tragédia anunciada em Urussanga

    Livro conta a história de acidente em mina de carvão que deixou 31 mortos em 1984 Por Natália Huf Em 10 de setembro de 1984, uma tragédia impactou os trabalhadores da mineração catarinense. A explosão na mina Plano 2, localizada no distrito de Santana, em Urussanga (Santa Catarina), causou a morte de 31 mineiros. A história desse acidente e a memória dos sobreviventes está agora registrada em livro do professor de História e escritor Bruno Mandelli, lançado na última terça-feira, 20 de abril. O livro A explosão da Mina Santana: uma tragédia anunciada é fruto da pesquisa desenvolvida pelo autor em jornais da época, entrevistas com sobreviventes da tragédia e…

  • Entrevista,  História

    Javier Viveros: “As guerras são pedreiras inesgotáveis de histórias”

    Maior roteirista de quadrinhos do Paraguai aborda a importância dessa arte visual para a reconstrução do passado Por R. Melissa Dos Santos Ele já era um renomado escritor e poeta quando, em meados da década passada, enveredou para o fascinante mundo dos quadrinhos. Hoje, se constitui num personagem importante da história do presente do Paraguai: mestre em Literatura pela Universidade Nacional de Assunção (UNA), membro da Academia Paraguaia da Língua Espanhola, atuante engenheiro informático e, indiscutivelmente, o mais prolífico e qualificado roteirista de livros ilustrados do país. Em pouco tempo, se tornou o grande protagonista do atual boom da chamada nona arte em terras paraguaias. É o coordenador de vários…

  • Diálogos,  Entrevista,  História,  Jornalismo

    Ana Paula Lacerda: “Realizar a Semana Euclidiana representa, para mim, participar da construção de um Brasil melhor”

    Diretora de Cultura de São José do Rio Pardo fala do imenso desafio de organizar a 82ª edição desse evento e de como ele muda a vida das milhares de pessoas envolvidas nas suas múltiplas atividades Por Bárbara Dal Fabbro A trajetória de Ana Paula de Paulo Pereira de Lacerda nos mostra que não é preciso nascer rio-pardense para se tornar e identificar como euclidianista. O estudo sobre a obra do multifacetado Euclides da Cunha em suas mais diversas vertentes tem feito de São José do Rio Pardo (SP) a “meca do Euclidianismo” e trazido para o interior de São Paulo estudantes e pesquisadores de todo o Brasil e de…

  • Diálogos,  Entrevista,  Jornalismo

    A última entrevista de Quino oferece boas lições ao jornalismo

    Por Mauro César Silveira O que nós, repórteres, podemos fazer para nos aproximar de uma pessoa arredia e tentar entrevistá-la? Algumas boas pistas podem ser encontradas no documentário Buscando a Quino, do ator e cineasta argentino Carlos “Boy” Olmi. A obra foi lançada em maio deste ano em alguns países de língua espanhola, quatro meses antes da morte do celebrado cartunista que criou a rebelde menina Mafalda – ícone mundial da luta contra a opressão política. Gravada dois anos atrás, mas somente divulgada em 2020, a produção superou um desafio que parecia quase intransponível. O personagem procurado para falar sobre sua vida sempre foi um homem muito tímido, de poucas…

  • Entrevista,  História,  Jornalismo

    Aos 20 anos, Machado de Assis escreveu biografia do imperador Dom Pedro II

    Texto foi encontrado pela historiadora Cristiane Teixeira em pesquisa sobre a revista O Espelho Por Natália Huf Em 6 de novembro de 1859, a revista semanal O Espelho publicou na primeira página uma biografia do então imperador Dom Pedro II. O texto não veio assinado, mas ocupava uma página costumeiramente ocupada por ninguém menos que Machado de Assis. A partir da investigação que resultou em sua dissertação de mestrado, a historiadora Cristiane Teixeira encontrou indícios de que o escritor é o autor da biografia. A pesquisa rendeu também o artigo publicado na revista ArtCultura, disponível para download gratuito no site do periódico. O Espelho foi uma “Revista Semanal de Literatura,…

  • Entrevista,  História,  Resenha

    438 páginas através dos séculos para recontar a morte dos escritos mais valiosos da humanidade

    Por Bárbara Dal Fabbro Neste momento, enquanto você lê estas linhas, pelo menos um livro está desaparecendo para sempre. A morte de uma obra literária é uma regressão, um retrocesso, já que com ele se vão ideais, pensamentos, sentimentos, conhecimento e até sonhos. O que faz uma pessoa destruir um livro? Queimá-lo, rasgá-lo ou mesmo rasurar suas páginas? Estas perguntas, com certeza, permearam os pensamentos do escritor venezuelano Fernando Báez. O interesse pelos volumes destruídos ou perdidos remonta à sua infância, desde os cinco anos de idade os livros eram seus únicos amigos. Ele costumava frequentar a biblioteca pública de sua comunidade, em San Félix, Ciudad Guayana, na região oriental…

  • Entrevista,  História,  Jornalismo,  Resenha

    Amores, cocaínas, tangos e moléstias

    Enervadas, de Madame Chrysanthème, é uma crítica à vida tediosa da mulher burguesa dos anos 1920 Por Natália Huf No perfil sobre Madame Chrysanthème, também publicado aqui no Jornalismo & História, Mauro César Silveira diz que “se pudesse, ela não assinaria seus textos como Chrysanthème”. De fato, a narrativa feminista e moderna de Enervadas, de 1922, não deveria precisar ter sido assinada por um pseudônimo. Infelizmente, Maria Cecília Bandeira de Melo Vasconcelos, a mulher por trás do nome, assim como a protagonista Lúcia, viveu em uma época em que o sexo feminino estava destinado a ocupar apenas as funções de esposa, dona de casa e mãe. Escritora e jornalista, Chrysanthème…