• Diálogos,  História,  Resenha

    Um mergulho literário em período tormentoso

    Obra de Ben Lerner reacende a memória do atentado de 2004 na movimentada Estação de Atocha em Madri Por Cristiane Garcia Teixeira Ao visitar o espaço da Editora Juriti – em Santa Rosa do Sul, no extremo sul do estado de Santa Catarina – deparei-me com a estante Livros Livres e algo de mágico aconteceu: um livro me escolheu. Peguei-o emprestado para ler, porque mesmo com as leituras da tese e de projetos, é a literatura, por vezes, que tem me ajudado a manter a sanidade. Mais que isso, é com ela que consigo enxergar a sociedade, o mundo e a mim mesma de um jeito que só ela permite.…

  • História,  Jornalismo,  Reportagem

    A vida e obra de João Antônio em podcast

    Paratempo exibe primeiro episódio sobre a trajetória do criador do conto-reportagem Por Mauro César Silveira O desabafo proferido mais de 40 anos atrás soa sinistramente profético. Ao escrever, em 29 de abril de 1980, para Mylton Severiano, seu amigo e colega de redação na célebre revista Realidade, da década de 60 do século passado, o jornalista e escritor João Antônio Ferreira Filho, ou simplesmente João Antônio, destilou boa dose de amargura ao atingir o vigésimo quinto ano da sua carreira literária: “Deverei bebemorar com uma solitária taça de fel e desesperança, pois, depois de tudo que fiz e até do meu nome já ter chegado ao estrangeiro, verifico que uma…

  • Diálogos,  História,  Resenha

    As fabulosas aventuras de um confinamento em Turim

    Livro Viagem ao redor do meu quarto, de Xavier de Maistre, foi escrito em 42 dias de clausura no final do século XVIII Por Mauro César Silveira Em tempos de privação da liberdade e vida cotidiana condenada a transcorrer em espaços reduzidos, para não dizer exíguos, nada mais inspirador que o livro Viagem ao redor do meu quarto, de Xavier de Maistre (1763-1852), lançado, de maneira oportuna, em setembro de 2020, pela Editora 34, de São Paulo. Se a área disponível é restrita e os movimentos bem limitados, a imaginação pode alçar voos infinitos. É o que ensina a obra desse escritor e militar oriundo da nobreza francesa, redigida em…

  • Diálogos,  História,  Jornalismo

    A estrela de Clarice Lispector brilha na Espanha

    No mês do centenário do seu nascimento, vida e obra da escritora têm grande repercussão no maior país ibérico Por Mauro César Silveira Tão desconcertante como a pandemia que assola o mundo, como compara a escritora e crítica cultural aragonesa Mercè Ibarz, a poderosa literatura de Clarice Lispector dá as cartas nos meios jornalísticos espanhóis. Neste mês de dezembro, em que a brasileira nascida na Ucrânia completaria 100 anos, sua vida e obra resplandecem em diferentes formatos, sejam impressos ou digitais.  Antes mesmo da efeméride, no dia 10, começaram a circular reportagens, ensaios, resenhas, comentários e notas, disseminados pelas diferentes regiões da península ibérica. E nada indica que o brilho…

  • História,  Jornalismo

    A crônica jornalística que marcou a vida da autora de “A Hora da Estrela”

    A morte do assaltante fugitivo conhecido como Mineirinho, no dia 1º de maio de 1962, depois de ser perseguido por uma força policial composta por 300 homens, seria tema de uma das crônicas jornalísticas de Clarice Lispector, publicada na edição do mês seguinte da revista Senhor, que circulou no Rio de Janeiro entre 1959 e 1964, inspirada em publicações estadunidenses, como Esquire e New Yorker. O texto, intitulado Um gramo de radium – Mineirinho, foi um dos dois prediletos da escritora – o outro é o conto O ovo e a galinha –, em toda sua prolífica carreira, como ela revelou na sua última entrevista, em 1977, concedida ao jornalista Júlio Lerner…

  • Entrevista,  História,  Resenha

    438 páginas através dos séculos para recontar a morte dos escritos mais valiosos da humanidade

    Por Bárbara Dal Fabbro Neste momento, enquanto você lê estas linhas, pelo menos um livro está desaparecendo para sempre. A morte de uma obra literária é uma regressão, um retrocesso, já que com ele se vão ideais, pensamentos, sentimentos, conhecimento e até sonhos. O que faz uma pessoa destruir um livro? Queimá-lo, rasgá-lo ou mesmo rasurar suas páginas? Estas perguntas, com certeza, permearam os pensamentos do escritor venezuelano Fernando Báez. O interesse pelos volumes destruídos ou perdidos remonta à sua infância, desde os cinco anos de idade os livros eram seus únicos amigos. Ele costumava frequentar a biblioteca pública de sua comunidade, em San Félix, Ciudad Guayana, na região oriental…

  • História,  Jornalismo

    Muito prazer, meu nome é Maria Cecília

    Por Mauro César Silveira Se pudesse, ela não assinaria seus textos como Chrysanthème. Mas naqueles tempos, nas primeiras quatro décadas do século passado, uma voz feminista brasileira não deveria revelar sua identidade. Assim como sua mãe Emília, também jornalista e escritora, que usou o pseudônimo de Carmen Dolores, Maria Cecília Bandeira de Melo Vasconcelos precisou resguardar seu verdadeiro nome ao herdar a coluna semanal de Machado de Assis, no jornal O Paiz, do Rio de Janeiro, e levar adiante sua prolífica produção, tanto nas páginas da imprensa como nas obras literárias. Foram incalculáveis crônicas e artigos em inúmeros periódicos do centro do país e 16 livros, com uma diversidade estilística…

  • História,  Resenha

    A sombra cinza dos ventos barceloneses

    Resenha em homenagem ao escritor catalão Carlos Ruiz Zafón, que morreu hoje aos 55 anos Por Bárbara Dal Fabbro É na inocência de um menino de 10 anos que Carlos Ruiz Zafón nos apresenta uma Barcelona cinza, pós-Guerra Civil, pós-Franco, mergulhada na Segunda Guerra Mundial e que tenta, na tristeza e nas lembranças boas do passado, cicatrizar as feridas abertas nas ruas, nos rostos e corações barceloneses. A Sombra do Vento é um romance de uma delicadeza tamanha e de grande tato da parte de seu autor. É nas obras banidas e esquecidas que o jovem Daniel Sempere irá conhecer Julián Carax, um escritor atormentado que, tendo em seus livros…